Escoliose Degenerativa: Conheça sintomas e tratamentos

Escoliose Degenerativa: Conheça sintomas e tratamentos

A escoliose degenerativa de adulto, é uma curvatura da coluna vertebral, mais proeminente em pessoas acima dos 40 anos. Além de causar dores incomodas, ela pode comprometer movimentos do corpo. Conheça mais sobre esse tipo de escoliose, e saiba quais os sintomas e tratamentos adequados.

 

Escoliose Degenerativa

Escoliose Degenerativa: Conheça sintomas e tratamentos

A escoliose degenerativa é uma doença que se caracteriza pela curvatura da coluna. Essa curvatura da coluna pode se apresentar em formato da letra “S” ou “C”. Além de poder ter grande grau de torção em diferentes direções do eixo do corpo. Ou seja, além de se apresentar por alterações no eixo da coluna, também pode apresentar distorções nos ombros e na cintura. Ela torna-se visível quando a pessoa é vista de frente ou de costas.

A formação natural do corpo, de forma assimétrica e alinhada, é muito importante. Isto pois, a postura correta vai impedir que diferentes articulações que compõem nosso corpo sofram alguma pressão indevida. As curvas do pescoço e das costas são os principais pilares de equilíbrio do corpo. Quando desalinhados eles podem gerar maiores tensões e cansaço nos ossos e nos músculos. Essa dissimetria pode, ainda, desencadear dificuldade de respiração; menos segurança corporal; e em alguns casos, fatores psicológicos negativos. Por isso, é de extrema importância que haja todo um cuidado em relação a postura corporal.

A escoliose, por ser uma doença que modifica a postura corporal, possibilita a manifestação de incômodos no corpo, e outras doenças decorrentes desse desequilíbrio. Confira adiante os principais sintomas gerados pela Escoliose Degenerativa, e como podem ser preocupantes.

 

CONFIRA AQUI OPÇÕES DE PLANOS DE SAÚDE

 

Sintomas

Assim como são diferentes os sintomas causados pela Escoliose Degenerativa, são diferentes os problemas que esta pode trazer ao indivíduo. Muitas doenças e problemas musculares se originam da má postura corporal. Confira agora os sintomas causados pela escoliose e á quais problemas eles pertencem e levam o paciente.

Escoliose Degenerativa: Conheça sintomas e tratamentos

  • Dores fortes na região da coluna, ocasionadas pela má posição da coluna, e sobrecarga dos músculos;
  • Ombros em posições desiguais, com um estando em uma posição abaixa do outro;
  • Membros musculares enfraquecidos;
  • Cintura em formato distinto;
  • Dores de origem discal, decorrentes de inflamações por rompimento de disco;
  • Dormência, fraqueza e dores musculares ocasionadas pela diminuição do canal espinhal. Denominada de Estenose de canal, esse problema pode levar á dores ciáticas;
  • A dores ciáticas, por sua vez, se estendem para a região abaixo da cintura, nas pernas e nos pés. Tomar cuidado pois acarretam em dificuldade física;
  • Descentralização da cabeça em conformidade com a região da pelve;
  • Pode gerar Claudicação. Ou seja, maior dificuldade de locomoção, em distancias curtas e longas, marcada por pausas regulares para descanso.  A claudicação pode gerar, ainda, câimbras em diferentes regiões da perna; Tais problemas são devido ao estreitamento dos nervos.
  • Alteração visível na pele, caracterizada por proeminências e coloração irregular;
  • Percepção de inclinação irregular do corpo.

Todos esses fatores, mencionados acima, são indicativos de Escoliose degenerativa de Adulto. São fatores que não podem ser ignorados e que podem causar complicações se não tratados devidamente.

Para tanto, caso tenha identificado algum dos sintomas, é necessário que consulte um especialista. Apenas ele poderá diagnosticar os indícios e definir se realmente se trata de Escoliose.

Com um plano de saúde você tem acesso aos melhores especialistas que podem estar avaliando sua situação. Confira aqui as tranquilidades adquiridas ao se tornar beneficiário. São tantas, que irá se surpreender.

Caso tenha duvidas de como efetuar uma cotação de plano de saude, não se preocupe. O artigo sobre Cotação de Valores explica detalhadamente como funciona, e de que forma o plano se adapta ás necessidades de cada pessoa.

 

Causas

Não há dados concretos e definidos sobre a forma como a Escoliose afeta os indivíduos. Todavia, alguns fatores podem ser levados em conta na hora do diagnóstico. São fatores que, segundo pesquisas, normalmente são apresentados em pessoas que desenvolvem o problema. Confira as classificações dessas possíveis causas:

Escoliose Degenerativa: Conheça sintomas e tratamentos

  • Escoliose idiopática: Normalmente corresponde a causas desconhecidas, mas pode ter relação com hereditariedade. Pode prover de problemas relacionados a juventude, que não foram detectados ou tratados corretamente;
  • Escoliose secundária e dissimetria: Quando ela decorre de outros problemas que afetam o equilíbrio corporal. Esses problemas podem ser caraterizados por uma doença degenerativa da espinha dorsal, ou por Osteoporose. Esta última, além de acelerar a expansão das curvas da coluna, anda altera o formato dos ossos;
  • Escoliose Miopática: É quando os músculos da coluna são afetados por doenças musculares, como a distrofia, por exemplo.
  • Escoliose congênita: Relacionada á uma imperfeição na formação das vertebras, manifestada após o nascimento, porém tem relação com o período embrionário.
  • Escoliose Paralítica: Resulta de uma contusão na região da medula espinhal. Se o revestimento em seu entorno não estiver trabalhando normalmente, a coluna vertebral pode sofre desequilíbrios;

 

Tratamentos

Escoliose Degenerativa: Conheça sintomas e tratamentos

Apesar dos diagnósticos mais reveladores serem através dos sintomas, os médicos utilizam métodos mais confiáveis para confirmar. Esses métodos são exames de Ressonância Magnética, Tomografia e Raio-X. Os exames poderão identificar qual tipo de escoliose que o paciente apresenta e qual a sua gravidade.

Tratamento Conservador

Não é obrigatório efetuar a cirurgia, se o paciente não apresentar muitos incômodos relacionados à distorção na coluna. Neste caso, o método mais indicado pelos especialistas é o uso de medicamentos e acompanhamento fisioterapêutico.

Além desses métodos, pode ser incluído ao tratamento o uso de coletes, chamados Órteses, que ajudam a reconstruir a formação natural da coluna.

Para auxiliar nesse tratamento, é recomendado que seja efetuado exercícios físicos e motores diariamente, para fortalecer a musculatura corpora. Caso o os sintomas prevaleçam após 24 semanas, é necessário fazer novas consultas com especialistas.

Tratamento Cirúrgico

O outro método é a cirurgia. Dentro desse método á diferentes formas de efetuar o tratamento. Para o caso de pessoas com idade avançadas, que são os maiores afetados pela escoliose degenerativa, é recomendado uma cirurgia menos invasiva. Essa cirurgia menos invasiva é conhecida por XLIF. Ao contrário das tradicionais invasivas, essa é realizada por uma incisão na lateral do corpo, onde não há relação com os ligamentos da coluna. Durante o procedimento é realizado o reposicionamento da coluna.

Essa cirurgia, além de ser menos invasiva, oferece uma recuperação mais rápida, e menos fatores dolorosos decorrentes da operação.

É importante lembrar que, antes de iniciar qualquer tratamento, cirúrgico ou conservador, é necessário consultar um especialista. Ele poderá avaliar qual o método mais indicado e menos arriscado para cada paciente.

Por esse motivo é importante possuir um convênio médico. Com ele poderá ter acesso aos melhores mais variados tipos de procedimentos. Veja aqui tudo que você precisa saber antes de contratar. Não perca tempo, sua saúde precisa de você!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *