Sapatos veganos - O estilo que salva os animais - Bem estar de hoje

Sapatos Veganos: O estilo que salva os animais

As roupas e os sapatos veganos surgiram da representação de um estilo de vida. É um estilo que acima de tudo visa respeitar os direitos dos animais e questões de cunho ambiental. Essa prática, adotada por muitos atualmente, ainda é muito incompreendida e criticada, gerando constantes desavenças entre os veganos e os não veganos.

Roupas e sapatos veganos: um estilo de vida

A ideia de criar roupas e sapatos veganos surgiu dos anseios e das lutas das comunidades veganas. Apesar de ainda mal interpretado, o veganismo, vem ganhado destaque e espaço na sociedade. Seus ideais de preservação do meio ambiente, através de meios sustentáveis, e a busca por maiores qualidades de vida para os animais vem conquistando adoradores pelo mundo todo.

A filosofia vegana prioriza a vida e os direitos dos animais. Para tanto, eles não podem consumir qualquer produto derivado de animais ou que utilize subprodutos adquiridos através da exploração destes. Um bom exemplo são as roupas produzidas com lã, couro ou pele, e os produtos que são testados nesses inocentes.

Aliando esse pensamento ao consumo sustentável, as empresas começaram a investir em produtos naturais e reciclados. Seu objetivo? Atender não apenas esse marcado vegano, que está se desenvolvendo rapidamente, como também o desejo de toda uma sociedade ante a diminuição dos impactos ambientais causados pelas indústrias.

 

SIMULE AQUI O PREÇO DO SEU PLANO DE SAÚDE.

 

Direcionamento vegano nas industrias

Há atualmente uma gama de empresas direcionadas para esse público. As empresas variam entre as que tem um nicho separado para produções próprias nesse mercado, e entre as que são completamente voltadas para atender essa demanda sustentável.

No brasil esse processo de reaproveitamento de materiais para confecção de novos produtos ainda esta em andamento. Muitas empresas veem dificuldades em encontrar variáveis do couro e de sintéticas como PVC, que não são renováveis e que compactuam com a crueldade aos animais.

Algumas marcas, alegando ter medo de sofrerem boicotes por ativistas veganos e ONGs, dizem não efetuar testes em animais. Todavia, isso não é sempre verdade. Muitas dessas empresas vendem seus produtos na china, onde há obrigatoriedade de teste antes dos produtos serem liberados para os consumidores. Suas justificativas, na maioria, se resumem á “não fazemos testes em território brasileiro”. Esquecem-se de que a luta é pelos direitos de todos os animais, e não apenas dos que residem no País.

Então, no intuito de informar as pessoas sobre o que estão adquirindo foi criado o selo Cruelty Free (livre de crueldade).  Este selo é aplicado nos produtos, pelas empresas, para informar que na produção ou confecção dele não houve testes em animais. Logo, é um produto que não recorreu á danos ou mortes.

Percebe-se que com maior participação da população será possível tornar o assunto cada vez mais presente e urgente. Fato é, os couros legítimos estão perdendo espaço e sendo substituídos. Algodão e garrafas PETs, são opções de materiais que já vem sendo utilizados por algumas empresas. Com a conscientização de todos será possível diminuir os danos causados ao meio ambiente e evitar os danos aos animais.

Saiba também, qual a diferença entre veganos e vegetarianos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *