Bem Estar de hoje da geração Y o que realmente importa?

O que sabemos do bem estar de hoje da atual geração? Durante muitos anos tradicionalmente era passado de geração para geração que o sucesso é medido pelo fato dessas principais conquistas. Casa própria, um carro e um bom trabalho onde possa passar anos.

Análise da Situação

A cada ano que passa com o aumento do número de jovens esses já não são os principais objetivos. Diversos estudos de comportamentos humano feitos nos últimos tempos mostram que cada vez mais a geração Y (pessoa que hoje possuem 30 a 35 anos) compram menos casa. E também o número de pessoas interessadas em comprar um automóvel não é mais o mesmo. Eles estão mais preocupados com seus Iphones e maratonas de série no Netflix.

Nos Estados Unidos nasce a ‘’geração dos alugadores’’. São pessoas que não querem ficar pressas com grandes financiamentos, que tendem a ficarem alertas para não enfrentar crises financeiras ainda tão jovens, hoje sendo bem mais antenados com a ajuda da internet. Mostra que isso é possível e está acontecendo.

Bem-estar de hoje da geração Y

Mas isso não é o principal, o bem-estar de hoje da geração Y se diferencia quanto aos valores São muito diferentes.

Os jovens redefiniram pensamentos e hábitos antigos da antiga geração as coisas materiais estão deixando de serem levados a tamanha importância.  Para que ter um caro se você pode ter transportes públicos, taxi, bicicleta ou Uber. Para que comprar uma casa na cidade atual onde você mora para descansar, financiar por anos e ficar preso e ela? Qual o motivo que uma pessoa se comprometer a passa seus 30 a 40 anos em um financiamento, isso significa que é o mesmo que passar a metade da sua vida pagando aluguel.

Isso significa que jovens que optam por morar de aluguel tem maior facilidade para encarar medidas como a escolha de um novo trabalho e consequentemente ser livres para optar morar próximo do trabalho já que segundo pesquisa da Revista Forbes jovens contemporâneos estão mudando de trabalho em média três vezes por ano.

O Desejo de ter prioridade dos materiais mudou

Durante os últimos anos diversos psicólogos fizeram estudos que demonstram se for levado em consideração entre as experiências felicidade e a sensação de bem-estar muitas dessas optam por gastar dinheiro com experiência vividas do que comprando algum material sem nenhuma utilidade que você venha ter boa lembranças vividas

Trecho extraído do artigo do Crítico James Gamblin:

Parece que as pessoas não querem ouvir histórias sobre onde você comprou uma casa, e sim ouvir o quão maravilhoso foi seu fim de semana. Até mesmo uma experiência ruim pode se transformar numa história fascinante. A interação social entre as pessoas desempenha um papel muito importante na hora de definir se elas serão felizes ou não. Logo, é preciso conversar com outras pessoas e ter muitos amigos. Obviamente, os outros irão gostar mais de ouvir sobre uma viagem maluca e inesperada, ou sobre como alguém morou em um país desconhecido, do que ouvir quantas casas alguém conseguiu comprar“.

Saúde e Tecnologia

Para se adaptar a essa nova geração uma das coisas que temos que ter ciência é:

Saber equilibrar as coisas. É importante que tenhamos experiências vividas para que quando tivermos em um nível de velhice ficarmos felizes ao lembrarmos do que já passamos. Porém o equilíbrio de fazer isso ao mesmo tempo de prospectar uma casa para garantir um lazer, construir uma família para passar ensinamentos de geração para geração, e ter um sossego de corpo e alma.

Em tempos de tecnologia avançada tais como carros sem motoristas, Inteligência artificial para criação de assistentes pessoais digitais, Materiais em 2D e até mesmo o nível de realismo do jogo Pokemon Go pode ser considerado um nível de globalização perfeito para jovens e adultos se conectarem e construírem grandes conquistas,  adquirindo novos hábitos e com o equilíbrio de suas gerações passadas.

Relacionadas